Nasci em São Paulo, em 23 de novembro de 1953. Aos cinco anos minha mãe me matriculou na escola de ballet, mas a professora era chata e eu não quis ficar: "Então você vai aprender piano", resolveu a mãe que queria que eu tivesse um "algo mais". E lá fui eu. Por sorte a professora era muito legal! Levou até a gente pra cantar na televisão! Sim, ela nos fazia cantar também. Adorei! E segui em frente. Tive outras professoras de piano até chegar na dona Hilda, que me levou pro Conservatório; eu tinha então 12 anos.
 
De lá pra faculdade de música foi um pulo, pois o Osvaldo Acursi, diretor do Instituto Normal de Música, o tal conservatório, era muito ousado e inovador.
         
 

Tínhamos os melhores professores, e o ano todo aconteciam apresentações de excelentes músicos. A Semana da Arte era o máximo! De dia, se apresentavam os alunos. À noite, artistas consagrados como Isaac Karabitchevsky e seu Madrigal das Arcadas, Sebastian Benda e sua Camerata de Cordas, Yara Ferreti interpretando Villa Lobos, Pietro Maranca, um dos melhores pianistas que já se viu, e muito mais. Com tudo isso, jamais quis parar de fazer Música. Quando chegou a hora do vestibular, o Acursi estava montando a primeira faculdade de Música de São Paulo, a Faculdade Paulista de Música. Eu cursava então o quarto ano de Magistério, pois sempre quis ser professora. "Vai prestar vestibular pra quê?", perguntou Osvaldo, "Ainda não sei", respondi aos 17 anos, "Então vai fazer Música". E eu fui. Fiz parte da primeira turma, da primeira faculdade de música da cidade de São Paulo!

   
   

Depois de ministrar aulas de Música em escolas regulares e conservatórios em São Paulo, parti para a Capital Federal, onde trabalhei por dois anos na Escola de Música de Brasília. Morar na cidade foi uma experiência incrível! Quando cheguei à Escola de Música, em 1975, procurando emprego, vi, pela primeira vez na minha vida, crianças integrando uma orquestra de verdade. Fiquei absolutamente apaixonada!

Depois de um concurso básico, passei a integrar o corpo de professores dessa escola maravilhosa, que sob a batuta de Levino Ferreira de Alcântara levava crianças, jovens e adultos a trilharem os perfeitos caminhos da Música, com toda a estrutura imaginável! Lá também integrei o Madrigal de Brasília e tive a chance de ser regida pelos melhores como o próprio Levino, Carlos Alberto Pinto Fonseca, Camargo Guarnieri, Emílio de Cesar, entre outros. Aprendi muito em dois anos e meio na Escola de Música.

Lá também, em 1976, tive meu único filho, Thiago Chan.

De volta à São Paulo, passei a integrar os corais Baccarelli, Madrigal Cantovivo e Coralusp. Com o último, em 1979, viajei em missão cultural pelo continente africano.

CANTOLIVRE

Como regente de corais adultos desenvolvi trabalhos em diversas empresas e faculdades de São Paulo. O trabalho de maior expressão nessa área, porém, foi o Grupo Cantolivre, que venceu o 8o Concurso Nacional de Corais do Rio de Janeiro. O repertório desse período era composto exclusivamente de músicas brasileiras de compositores contemporâneos como Osvaldo Lacerda, Ronaldo Miranda, Nestor de Holanda Cavalcante, Cirley de Holanda, Carlos Alberto Pinto Fonseca e de arranjadores como Fernando Ariani, Damiano Cozzela, Alexandre Sanches, Rogério Duprat, Paulo Malaguti, em canções da MPB de todos os tempos.

EMIA

Em 1982, ingressei na Escola Municipal de Iniciação Artística (EMIA) onde iniciei a área Coral Infantil. Por meio desse trabalho, acabei levando, pela primeira vez na história da Escola, as mães às salas de aula, com o Coral de Mães.

DURANTE SETE ANOS DE MINHA CARREIRA A EMIA FOI INSPIRAÇÃO E POSSIBILIDADE DE FAZER. ALI NASCERAM MINHAS PRIMEIRAS COMPOSIÇÕES E FORAM OS CORAIS INFANTIS DA EMIA QUE GRAVARAM MEUS PRIMEIROS TRABALHO S

Com o apoio da EMIA realizei, em 1983 o I Encontro de Corais Infantis, buscando integrar crianças cantoras e regentes, e povoar o universo musical da cidade com os corais infantis, até então bem poucos e com poucas oportunidades de se apresentarem. A evolução desses Encontros me levou a criar o NUCI, Núcleo de Corais Infantis, através do qual iniciei o trabalho de reciclagem e formação de regentes.

ARCI

O sucesso dessas atividades levou à fundação, em 1984,da ARCI, a Associação de Regentes de Corais Infantis, a qual presidi por sete anos. Hoje, presidida por ANA MARIA PREMERO, a ARCI representa papel importante no cenário dos regentes de corais infantis e infanto-juvenis de todo o Brasil.

CARAS DE PAU

Com os músicos Kiko Carbone (bateria) e Thelmo Cruz (teclado), eu como cantora e compositora criei o espetáculo Thelma Chan e os Caras de Pau, um show com músicas especialmente escritas para crianças. Por dois anos esse grupo atuou 52 vezes, em importantes centros de cultura na Capital e Interior de São Paulo, e em várias unidades do SESC.

De 1995 a 1997 exerci o cargo de Assessora de Música da Fundação Cultural de Jacareí e a direção da Oficina de Artes Santa Helena. Essa atividade trouxe resultados significativos na área musical do município porque a comunidade passou a ter acesso a oficinas das mais variadas expressões musicais, desde Coral infantil até

uma Escola de Samba Mirim, além de aulas de instrumentos de sopro e percussão, percepção musical, regência, Big Band, entre outras. Dança Brasileira, Capoeira, Catira, foram as oficinas voltadas para o Folclore Brasileiro. Os músicos da cidade também ganharam destaque em projetos como o SOM DA CIDADE, onde bandas locais se apresentavam em diferentes bairros; PRATA DA CASA, com instrumentistas e cantores, em clima de bar; ENCONTRO DE VIOLAS, que integrou os grupos de Catira e Violeiros da região.

Atuei também como cantora e produtora nesse período e realizei espetáculos que integraram atores e músicos de Jacareí, como FEMININA e JOSÉ MARIA DE ABREU.

Após a experiência do trabalho governamental, assumi em 2000 a regência do primeiro grupo vocal infantil do projeto Orquestra e Coral Jovem Baccarelli - projeto social que desde 1996 se empenhava no resgate de cidadania de jovens carentes por meio do ensino de Música. A iniciativa do maestro Silvio Baccarelli surgiu após assistir pela TV o incêndio na comunidade de Heliópolis. Durante 2 anos me dediquei à iniciação musical de 60 crianças selecionadas entre 2000 candidatos.

VIAGENS

Em 2002, com a proposta de ministrar oficinas para professores de escolas de Ensino Regular e de Música, comecei a viajar por todo o Brasil, Em cada estado pude adquirir novos conhecimentos sobre a cultura de nosso país, o que colaborou para ampliar meu repertório de sons, paisagens, cores e sabores, aguçando os sentidos para transformar tudo em canções.

Ouvir vozes de Porto Alegre e Macapá, Londrina e Roraima, Curitiba e Belém, Uberlândia e Natal cantando cada qual com seus sotaques é uma experiência incrível!

No final do mesmo ano, no dia do meu aniversário, fui assistir à turma do Coral Jovem Baccarelli, que, na época de Natal, estava se apresentando na agência do Bank Boston da Avenida Paulista. Com o restabelecimento do contato, surgiu a oportunidade de voltar a trabalhar com a equipe junto a uma nova turma, selecionada em 25 de maio de 2003. Desde então 70, dos 180 pequenos cantores que fizeram parte do projeto, tiveram aulas comigo até o final de 2003.

Com um pouco de dor no coração, deixei o projeto no começo de 2004. O lançamento do novo trabalho, Pra Ganhar Beijo, me impediu de manter um trabalho musical que exige muito tempo e dedicação total.

As viagens por todo o Brasil para a divulgação do novo material me impediriam de dedicar-me às crianças do Coral Jovem Baccarelli.

I ENCONTRO DE CORAIS DE HOSPITAIS DA CIDADE DE SÃO PAULO

Também em 2003, assumi a regência do coral do Hospital Prof. Edmundo Vasconcelos, Por 3 anos estive à frente desse grupo, compondo, produzindo e dirigindo espetáculos que envolviam também as crianças, filhos de funcionários do Hospital. O sucesso do projeto me levou a criar o I Encontro de Corais entre hospitais da cidade.

CARREIRA – COMPOSIÇÃO

Com mais de vinte anos de carreira como compositora, acumulei diversas obras, entre livros e canções. Desde 1987 escrevo músicas para crianças que falam de higiene, respeito, características do Brasil e de outros países, e muitos outros assuntos que educam de forma divertida.

CORALITO, de 1987, nasceu de meu primeiro contato com as crianças da EMIA.Não encontrando material brasileiro para coral infantil, enveredei pela aventura de compor. As crianças gostaram e não parei mais. A Fermata do Brasil foi a primeira editora que acreditou no meu trabalho e produziu esse primeiro livro/CD que até hoje é muito utilizado nas escolas de todo o Brasil.

DOS PÉS À CABEÇA, de 1990, foi criado no período em que eu fazia aulas de Reeducação do Movimento com o mestre Ivaldo Bertazzo. Também editado pela Fermata, o segundo livro/cd vem sendo cantado por milhares de crianças da Educação Infantil desde então.

UM CONTO QUE VIROU CANTO, de 1991, é o documento do trabalho realizado com os corais da Escola Poço do Visconde, dirigida por Paulete Reis Kreigne e Fátima Freire, vanguardistas da Educação. Por seis anos permaneci nessa escola inspirada em Paulo Freire, com alunos que se tornaram adultos maravilhosos.

DIA DE FESTA, de 1995, é uma coleção de canções para coral infantil, registro do repertório que foi cantado com os corais infantis da EMIA e também do Poço do Visconde.

CHE RO MOMAITEÍ, BRASIL, de 1999, foi criado para atender a demanda das comemorações dos 500 anos do Brasil. Naquele período cidades de Norte a Sul utilizaram esse trabalho para suas comemorações.

DIVERTIMENTOS DE CORPO E VOZ, de 2001, nasceu dos pedidos dos professores que faziam nossas oficinas para que houvesse registro dos aquecimentos de corpo e voz que utilizávamos disponíveis em livro. Com as crianças do então Coral Baccarelli, fizemos esse registro em vídeo, cd e livro. Desde então, professores de Musica, regentes, professores de Dança e Educação Física, lançam mão daqueles exercícios em seus trabalhos.

PIRRALHADA, de 2002, foi escrito a partir da convivência com os professores e as crianças da Educação Infantil da Escola Santa Marina durante um ano. Os professores utilizavam as canções em sala de aula e davam depois os depoimentos, assim também eu os ouvia das crianças que cantavam comigo uma vez por semana. A Santa Marina foi fonte de pesquisa para a criação de todas as 50 canções depois arranjadas por Thelmo Cruz.

QUE DELÍCIA, de 2003, escrevi para corais juvenis a partir de um pedido muito especial vindo de uma cantora jovem de um coral de Uberlândia.

PRA GANHAR BEIJO, de 2004, foi gravado em parceria com Lilu Aguiar – arranjadora - e as crianças deTânia Bertassoli. Dedicado à Educação Infantil, esse trabalho foi produzido para registrar músicas que já haviam sido cantadas por diferentes grupos.

AS AVENTURAS DA TURMA DE LUAN, de 2007, foi composto a pedido do Sistema ANGLO de Ensino.

CARREIRA - INTERNACIONAL

CARACAS

Depois de viajar por grande parte do país com oficinas a professores de escolas regulares, de Música e regentes, fui convidada em 2002, para reger os corais infantil e juvenil, e dirigir oficinas a regentes do FESTIVAL GAUDEAMUS DE CANTO CORAL em Caracas, Venezuela.

ESTADOS UNIDOS

Em agosto de 2005 embarquei para a Flórida, EUA, onde ministrei aulas e oficinas a crianças da Florida Atlantic University e da Music Makers School, além de comandar o programa Almanaque – música e cultura -, na Rádio Brasil FM, em Deerfield Beach.

Pouco antes de retornar ao Brasil, integrei o grupo de 110 professores que se reuniu na Appallachian University, em Boone, Carolina do Norte, para vivenciar o fazer musical em oficinas com mestres de diversos estados daquele país.

CARREIRA – ATUAL

De volta ao Brasil, apresentei com o tecladista Thelmo Cruz o workshow Pra Brincar de Cantar, com composições minhas e outras canções do Folclore Brasileiro para 700 crianças das Escolas Municipais de Diadema – SP, em outubro de 2006

ANGLO

Desde 2000 minhas canções integram os livros de Educação Infantil do Sistema ANGLO de Ensino, escritos pelas psico-pedagogas Maria Célia Assumpção e Heimar -------. A partir de 2007, porém, passei a integrar o grupo de autores que ministram cursos e oficinas para as escolas parceiras em todo Brasil. Em 2007 compus também as 20 canções, para o CD AS AVENTURAS DA TURMA DE LUAN, para a Educação Infantil, primeiro e segundo anos. Inspiradas no conteúdo dos livros, as canções são apresentadas pela Turma do Luan, que nos livros levam o conteúdo a mais de 10000 crianças.

FAMOSP

Em 2007 passei a integrar o corpo de professores da Faculdade Mozarteum de São Paulo, como regente dos Corais FAMOSP e da Educação Artística, além de professora das cadeiras de Prosódia, Música para a Pedagogia e Ritmos Brasileiros para o Bacharelado. Pura diversão...

CENTRO SOCIAL BOM PARTO

A partir de agosto de 2007, assumi a regência de dois grupos dos centros comunitários do Centro Social Bom Parto. Gerido pela Arquidiocese do Belém, Zona Leste de São Paulo, esse Projeto atende 7000 crianças, em 57 centros comunitários, 2500 famílias, além de idosos e jovens em liberdade vigiada. Iniciamos em 2008 o terceiro grupo, o do centro comunitário Perseverança, em Sapopemba.

2007 foi um ano bastante agitado! Revisitei cidades que não via há algum tempo e visitei novas, ampliando minhas relações com as pessoas que trabalham com crianças em nosso país. Estive em Macapá, Natal, Belém, Londrina, Porto Alegre, Montes Claros, Uberlândia e no interior de São Paulo, Garça, São Joaquim da Barra, Catanduva, Barretos, Guarulhos. Espero em 2008 poder ir até onde você está!

 
Copyright © 2010 - Todos os direitos reservados a Thelma Chan - Produzido pela VC Sites.